CANTO CIGANO


Rating: 3.8/5 (990 votos)

ONLINE
1





 

CONTATOS:

tenda_cigana@hotmail.com

cigano_lux@hotmail.com

 

 

free counters 

Parceria.info - Divulgue seu Site

 



 

 

 

OTIMISMO EM GOTAS 2

 

Photobucket

Photobucket

Poema ao acaso

 

 

  

 

by Valeriy Chuikov

 

 

Foto de Emerson Brag 

SALMO

ANTÍFONA:
Pelo bem do nosso amor peço uma trégua.

Não!Não pra sucumbir:
que a paz tome lugar à nossa mesa
e venha embriagar-se nas ternuras
de que nós formos capazes.

Paz! Por um momento quero fitar-te os olhos
sem rodeios nem tristes lembranças,
esquecer esses pequenos desencontros
que nos enregelaram a alma.

Eis! Ofereço-te no vinho dos encontros
o que de melhor tenho em mim,
pois como o vinho quero enesgotável,
a cada encontro quero ser pródiga dádiva.

Ah, teu riso e tua voz se nutrirão dos meus
e eu beberei da tua dança e do teu cheiro;
estaremos sedentos cada vez
que nos unirem os acasos e os desejos.

Mas, se o destino algum dia quiser nos separar,
que a distância não fenda o coração
com a certeza de duros desencantos.
E que no tempo permaneça uma esperança.

Pelo bem do nosso amor peço uma trégua.

Borges de Garuva
In Cobaia

DIONE
EM SETEMBRO OUTRA VEZ

Em setembro, quando a alma rejuvenecer...
Quando reflorir a serra,
Outra vez...
E, a vida retornar,
Voltarei a te amar no amanhecer.

Quando as flores,perfumadas,
Embelezarem os desnudos galhos,
Na serra abandonados...
Voltarei a recolher, com minhas mãos,
As flores que foram tuas,
Outra vez...

Como teus beijos que recebi um dia,
Quando setembro vier,
Outra vez...

E, não te deixarei mais,
Envolverei teu corpo com tal ardor,
Que sentirás todo o meu calor.
E, sem desprezo,
E, forçando mais,
Me abaraçarás
Com todo amor...

E, serei, então, como cipó selvagem a enlaçar
A árvore de teu corpo virgem,
Num abraço longo,
Até a morte me alcançar.
E, secando-te matarei tuas flores, também,
Mais uma vez...

Como mortos e frios,
Ainda, me lembro,
Foram teus últimos beijos,
Em setembro,
Outra vez...

Lindolpho Prado
In Em Setembro...Outra Vez

 

DIONE

 

 

 

 

by Sue Kennedy

 

 

 

Foto de L Lemos

VENDAVAL

As folhas mortas,
Pelo ar perdidas,
Arrancadas pelo vendaval,
Das formas esqueléticas de árvores sem vida,
Caem nas alamedas tristes.

São como ilusões de nossas vidas,
Que alimentamos com a seiva
De um amor grande e puro,
Retido no tronco rígido de peroba antiga.

E o vendaval de nosso outono
Chega sem aviso
E, julgando-nos jovens, cheios de vida,
Arranca de nossos corações
A alma embevecida,
Atirando ao ar em rodopios,
Espalhando pelas alamedas frias,
As últimas ilusões de nossas vidas,
Como folhas mortas perdidas.

Lindolpho Prado
In Em Setembro...Outra Vez

DIONE

VIAGEM

Estive longe, bem longe...
Tornei-me pequeno...
Empinei papagaio...
Apanhei (Vara de marmelo dói.

Puxão de orelha também!...)
Deixei pegadas miúdas
no chão frio e branco de geada...

Senti a carícia da água cristalina

do rio amigo...
Persegui borboletas amarelas...
Colhi a rosa perfumada
do jardim...
Vivi o colorido do domingo...
Ouvi o bimbalhar do sino...
- Dona Saudade
                      visitou-me...

Delores Pires
In A Estrela e a Busca

DIONE

Autor José Saramago, em novembro de 200918/06/2010  - Morre, aos 87, o escritor português José Saramago Autor de 'Ensaio sobre a cegueira' morreu nesta sexta nas Ilhas Canárias.

A HUMANIDADE PERDE HOJE GRANDE PARTE DE SUA CORAGEM;

PERDE GRANDE PARTE DE SUA CLAREZA;

PERDE GRANDE PARTE DE SUA ASTÚCIA;

PERDE GRANDE PARTE DE SUA BELEZA!

A HUMANIDADE PERDE HOJE...

...GRANDE PARTE DE SUA HUMANIDADE!

QUE O PARAÍSO DOS GÊNIOS RECEBA-O COM OS BRAÇOS ABERTOS DA MESMA FORMA QUE ELE ABRIU NOSSAS MENTES, NOSSOS CORAÇÕES E NOSSAS ALMAS. 

"Não sou um ateu total, todos os dias tento encontrar um sinal de Deus, mas infelizmente não o encontro."

JOSÉ DE SOUSA SARAMAGO

16/11/1922 - 18/06/2010

 

 

 




    
 

 

Esquecer de tudo
Entrar num mundo
quieto e mudo...
Sentir apenas um calor
Aquecer o corpo todo
E num amor profundo
Ser rodeado só de amor...
E em cada canto
Em qualquer espaço
Nunca sentir o pranto
Mas apenas sentir o abraço...
Amar,apenas amar
Esquecer de tudo
Sem nunca reclamar
Dos dias escuros
Nos olhar ler o poema mundo
Duma paixão louca
Sem limite ou futuro...
E gritar até a voz rouca
Que o mundo é esquecer
Só o sol,o sol do amor
Deve a alma esquecer...

autor: desconhecido

Celi Poesias...Um cantinho especial

Criar um Site Grátis Incrível | Criar uma Loja online Grátis | Sites Grátis | Free Websites | Wordpress e Prestashop Grátis